Sensibilização e divulgação de resultados2019-03-28T13:33:35+02:00

Sensibilização e divulgação de resultados

E1. Difusão geral

A fim de mitigar a falta de consciência social acerca do problema da erva-das-pampas (Cortaderia selloana) como uma espécie invasora no Arco Atlântico, realizou-se um plano de divulgação amplo, incluindo este “website”, a presença em redes sociais ou edição de painéis e materiais informativos, bem como dias de jornadas de divulgação em todas as regiões do Arco Atlântico envolvidas no projeto. A criação de redes para o intercâmbio de experiências com outros projetos LIFE de temática semelhante, bem como a redação e edição do Relatório Layman, como resumo executivo do projeto LIFE, uma vez concluída a fase de implementação.

E2. Campanha em meios de comunicação social generalistas

Esta ação visa ter um alcance generalista e transmitir mensagens-chave a toda a sociedade, sem discernir o grau de interesse ou sensibilidade. Pretende-se transmitir à população em geral, utilizando diferentes canais de comunicação e “mass media”, que existe um problema ambiental e socioeconómico que se chama “erva-das-pampas” e sobre o qual é necessário agir a fim de o controlar. Esta campanha nos meios de comunicação social centra-se na Cantábria e no Norte de Portugal.

E3. Seminários de restauro para áreas afetadas por erva-das-pampas e outras espécies invasoras

Esta ação prevê vir a realizar quatro seminários técnicos, um por cada ano de duração do projeto LIFE, cujo principal objetivo é a troca de experiências para controlo e eliminação erva-das-pampas, a nível nacional e internacional, para divulgar o projeto e recolher propostas de melhoria. As diferentes regiões envolvidas na luta contra a erva-das-pampas serão responsáveis pelo acolhimento dos seminários. Concretamente Vila Nova da Gaia em Portugal, Galiza, Cantábria e Sudoeste da França.

E4. Capacitação de atores-chave

Esta ação visa ampliar o conhecimento e a formação de técnicos e encarregados que lidam no seu dia-a-dia com a erva-das-pampas. Para isto estão previstas 30 sessões de formação de modo a oferecer a diferentes setores diretrizes de trabalho que contribuam para lutar contra a expansão da erva-das-pampas de forma mais eficaz. Serão realizados na Cantábria (15) e em Vila Nova de Gaia (15). Entre os principais atores- chave estão: técnicos das administrações públicas estatais, regionais e municipais, técnicos do setor de construção civil, obras públicas, jardinagem, pecuária e agricultura; bem como proprietários de terra em geral e jornalistas, que podem assim contar com melhores ferramentas para informar sobre espécies invasoras.


Conferência sobre o Projeto em Seminário Técnico

Seminario Técnico

E5. Manual de Boas Práticas para o controlo do espanador

Essa ação consiste em escrever, projetar e editar um manual simples, mas rigoroso, destinado a orientar qualquer pessoa, indivíduo ou profissional, que queira erradicar a erva-das-pampas ou impedir o seu aparecimento. Para isso, o manual irá conter uma compilação dos métodos utilizados de acordo com os diferentes habitats ou usos do território, para que o destinatário possa colocar em prática o método mais eficaz de acordo com a situação da área de ação, a fim de otimizar esforços e recursos, bem como fazê-lo com garantias de durabilidade. Este manual estará disponível em espanhol, inglês, português e francês, nas versões em papel e digital.

E6. Grupo de trabalho para combater a erva-das-pampas no Arco Atlântico

Este grupo de trabalho tem o papel de promover a coordenação e o intercâmbio de informações sobre o problema da invasora Cortaderia selloana e disseminar boas práticas no seu controlo e erradicação em regiões do Arco Atlântico (Portugal, Espanha e França). Entre as suas funções está a de atuar como facilitador para apoiar a integração da estratégia de combate a erva-das-pampas nas entidades locais.

E7. Distribuição de “Kit” Cortaderia

Trata-se de garantir a entrega dos documentos informativos e técnicos gerados pelo projeto LIFE aos diferentes atores-chave de todo o Arco Atlântico. Este “kit” contém o manual de boas práticas, o material de divulgação, Estratégia Transnacional de Combate à erva-das-pampas no Arco Atlântico (Ação A4), incluindo o procedimento de adesão e recomendações para a integração do problema da erva-das-pampas nas diferentes políticas setoriais, apropriado para cada nível de competência (município, província, região, nação).