Monitoramento de impacto das ações2019-03-26T11:03:33+02:00

Monitorização do impacto das ações

D1. Monitoração de ações de conservação

Esta ação destina-se a avaliar todas as ações de conservação, avaliando assim o efeito das ações no objetivo geral de controlar a erva-das-pampas na Cantábria; o número de erva-das-pampas removidas e a capacidade de regredir; a eficácia das medidas de restauro; e a evolução de projetos experimentais em parcelas-piloto.

D2. Acompanhamento do grau de cumprimento dos indicadores LIFE

Esta ação visa avaliar o cumprimento dos seguintes indicadores: Melhoria da natureza, espécies e biodiversidade; impacto económico, aceitação, replicação; e ainda comunicação, disseminação e sensibilização.

D3. Monitorização do impacto socioeconómico do projeto

Esta ação permite a avaliação de diferentes indicadores de impacto socioeconómico, como sejam a criação de emprego direto, a criação de emprego para pessoas com deficiência, a criação de emprego indireto; o impacto em outras atividades económicas; consciencialização pública e a capacitação de técnicos de setores e administrações públicas envolvidas na gestão da erva-das-pampas.

D4. Monitorização de serviços ecossistémicos

A luta contra espécies invasoras envolve o restauro e melhoria de habitats e espécies de interesse comunitário e, portanto, envolve uma recuperação da funcionalidade ecológica do estuário e, por conseguinte, a capacidade de fornecer bens e serviços ecossistémicos. Para a análise do impacto do projeto sobre os serviços dos ecossistemas seguiu-se a metodologia TESSA (Toolkit for Ecosystem services site-based Assessment) ferramenta de avaliação concebida, entre outros, pela BirdLife International em colaboração com centros científicos principais e cujo propósito é ajudar a identificar quais os serviços ecossistémicos mais importantes num determinado espaço, que dados precisam de ser medidos e quais as metodologias que devem ser utilizadas para obter esses dados com vista a ser capaz de analisar e comunicar os resultados.